Até que a Morte nos Ampare

August 1, 2019

       Olá turminha boa de leitura, hoje vou comentar sobre um intrigante e excitante enredo sombrio, escrito pelo autor Marcos Martinz, publicado pela Editora Skull, “Até que a Morte nos Ampare”.

 

       Com uma bela escrita, envolto há um certo humor negro e repleto de súplicas o autor conseguiu me prender nos caminhos da dura trajetória de uma quase noiva feliz, ou talvez infeliz? Neste livro encontraremos a ferida da alma que está aberta com seu grito de socorro sem ser ouvido. Aqui, será retratado um problema recorrente na sociedade, duro, frio, desconcertante e cortante.

 

        Marcos, era um jovem cheio de vida que durante o dia tinha uma vida corrida e bem normal, mas quando estava dormindo caminhava entre os mortos, pois ele tinha uma missão!

        Dona Morte, o levava para conhecer estórias de pessoas já falecidas e assim por vezes ele conseguia dar alento as almas desamparadas e sofridas, escrevendo e contando seus relatos no mundo dos vivos. Só assim, muitas almas conseguiam evoluir no mundo dos mortos e sanar certas dúvidas e dívidas referente à morte que tiveram.

         Mas, naquela noite ele teria em suas mãos uma das estórias mais intrigantes e tristes, que até aquele momento tinha ouvido.

        Dona Morte o levou para conhecer Rosinha, uma encantadora jovem morta (aparência de jovem, mas ela tinha por mais de 200 anos) que teve sua vida ceifada no dia de seu casamento, por isso ela trajava um vestido de noiva. De longe ela tinha um aparência bela, mas, ao se aproximar, Marcos notou que um lado do corpo da moça era carcomido pelo tempo. Isso o deixou bastante intrigado, mas logo ele entendeu que isso era apenas um mero detalhe para alguém tão doce e de aparência frágil.

        Depois das apresentações Rosinha os convidou (Marcos e Dona Morte) para adentrar em sua casa e a partir dali ela começou a relatar o que lembrava-se do dia fatídico.

 

 

        Ela amava seu noivo, Flavinho doceiro e disso ela não tinha nenhuma dúvida, mas amava também sua liberdade e suas escolhas e no dia do casamento uma incerteza pairava em seu coração: Estaria ela pronta para o casamento, seria feliz? Ela iria casar-se por ela ou pelos outros? Valeria a pena se entregar a uma vida que poderia ser monótona e incerta?

 

Medo, tristeza, incertezas e melancolia invadiam seu coração.

 

        No momento em que ela preparava-se para a cerimônia resolveu questionar e partilhar com suas madrinhas de casamento toda a sua angústia, mas como era de se esperar elas achavam besteira e que se não queria mais casar, deveria fazê-lo pelos pais que tinham apostado e gastado muito para aquela união, ou pelo Flavinho que a amava tanto.

 

        Assim, que elas terminam de prepara-la foram direto para a igreja espera-la e ela cai em desespero e começa a chorar e assim, adormece e só acorda quando escuta as doze badaladas da igreja e nesse momento arrepende-se e acredita que, sim, ela ama Flavinho e deve casar-se com ele. Rosinha sai correndo pelas ruas do vilarejo e quando chega próxima da igreja avista Chiquinho Carroceiro, aquele que deveria leva-la para a igreja, e nota que ele carrega alguém, mas a grande surpresa é que era ela morta em seus braços!

 

       Ela havia morrido, mas quem teria a assassinado e por que?

 

Durante esses 200 anos Rosinha ficou presa no dia de seu quase casamento. Ela revive seus momentos finais todos os dias e essa tormenta só irá terminar assim que ela descobrir quem fez tamanha atrocidade com ela. Por que a mataram?

 

 

 

Comentando…

          

Essa é uma narrativa em primeira pessoa, de fácil leitura e entendimento. Nesse enredo somos apresentadas a crueldade de uma sociedade que martiriza a mulher a impossibilitando de seguir seus desejos. O autor soube incorporar na história uma das grandes doenças do mundo. Aqui ela foi tratada com muita sutileza, mas não menos letal.  Passei momentos de pura angustia frente a tristeza e as descobertas da protagonista.

 

Um livro certeiro para leitores iniciantes que na maioria das vezes querem leituras rápidas, mas que também buscam por conteúdo.

 

A capa do livro já nos apresenta o que encontraremos durante a leitura. Uma diagramação perfeita!

 

Recomendo!

 

Você pode adquirir o livro pela loja integrada da editora:

http://www.lojaeditoraskull.com.br/home/Ate-que-a-Morte-nos-Ampare

Editora:

.facebook.com/editoraskull

@skulleditora

 

Conheça o autor:

facebook.com/AtorMarcosMartinz

@marcosmartinzator

 

Informações gerais

Até que a Morte nos Ampare

Autor: Marcos Martinz

Editora Skull

Pag. 90

Ano: 2018 – 1ª edição

ISBN: 978-85-53037-14-8

Capa: Alice Prince

Diagramação: Veveta Miranda

Revisão: Jonas Zair Vendrame

Gênero: Literatura Brasileira/ Fantasia

Tamanho da Fonte: Boa com espaçamentos adequados.

 

 

Diga Sim a Literatura Brasileira!

É isso, beijos e tchau!

 

Please reload

Posts Em Destaque

Horror na Colina de Darrington

November 5, 2019

1/10
Please reload

Posts Recentes

August 27, 2019

July 24, 2019