Doce Amargo – livro 1

November 14, 2017

   Olá, turminha boa de leitura, mais uma história emocionante e arrebatadora de autora nacional, e o da vez é Doce Amargo -  livro 1 de uma duologia, um romance da autora Evelyn Santana pela Editora Coerência. Ela tem uma escrita forte e delicada. A capa do livro é apaixonante.

Esplêndido!!!

 

  Faz um tempo que terminei a leitura, mas tive que colocar as ideias em ordem (Esse livro me tirou do eixo de tão empolgante que é, acho que o nome para isso é... RESSACA LITERÁRIA).

 

   Com esse enredo teremos pela frente não só o sabor, mas uma temperatura mais elevada também.

       Existe um momento em que o calor e o frio podem chegar a uma ligação tênue.

      O contraste marcante entre o suave e o apimentado, o surgir e o sucumbir, e, por que não dizer, o querer com o não querer? A luta frequente de não aceitar o que está claro.

 

       Essa é a proposta desse romance que nos mostrará duas realidades diferentes, que duas pessoas que se cruzam por acaso, e o destino se encarregará de aproximá-las, mas, não de eternizá-las... será?

 

    Estejam convidados a conhecer Melinda e Robert, e não se apaixonem, se forem capaz!

 

 

 

 

     Melinda era órfã e nunca soube exatamente sua origem e nem mesmo a data de seu aniversário.  Criada em um orfanato, a menina sonhava em poder fazer parte de uma família, mas ela não tinha o tipo que os pais adotivos procuravam, por isso sentia uma certa rejeição de todos.  Os dias no orfanato “Raio de Sol” passavam com muita dificuldade, pois as doações eram escassas para tantas necessidades que imperavam naquele lugar.

    Mas, em um final de ano, o orfanato recebeu uma bela doação e a alegria foi geral. Melinda ficou tão agradecida que prometeu para si mesma encontrar-se com essa alma generosa e agradecer pessoalmente. Em seu coração juvenil e carente de afeto, a jovem se viu encantada por uma foto de seu benfeitor, Robert Blackwell.

   O tempo passa e Melinda, ou Linda, como era chamada pelos poucos amigos que tinha, ganhou o mundo; cansada daquele lugar de paredes frias e emblemáticas, aos 17 anos, fugiu do orfanato e construiu uma vida longe daquele lugar. Mesmo com toda dificuldade, ela enfrentou com coragem e muita garra a nova vida que estava construindo.

   Formou-se na faculdade e aos 24 anos tinha uma vida reclusa, mas com muito empenho, conseguiu trabalhar na empresa de Robert Blackwell, aquele que realizou a doação ao orfanato.

 

Será que ele era uma alma generosa, mesmo?

 

 

    Robert Blackwell era um jovem empresário de muito sucesso, ele tinha o mundo aos seus pés. Era cercado por belas mulheres que se encantavam com o que ele podia oferecer. Mas algo era certo, ele não se importava com os sentimentos de suas conquistas, tudo era passageiro, todas eram objetos ao seu bel-prazer.

       Acontece que aquele jovem audaz, persistente, bonito e bem-sucedido carregava consigo transtornos familiares que sempre o perturbaram, e muito do que ele se tornou foi devido ao que passou na infância.

 

         Robert cresceu longe de sua família, ainda criança, foi mandado para um internato pelo pai, e isso o revoltou por demais, ficando, assim, afastado de sua mãe e da irmã. A revolta com seu pai foi crescendo a cada dia e tudo que ele podia fazer para contrariá-lo era feito.

 

         A relação de pai e filho não era fácil, ainda mais quando ele descobriu certos deslizes do pai. A rejeição entre os dois era tanta que até depois de morto seu pai impôs certas condições para que ele recebesse a herança, não que ele precisasse do dinheiro, mas havia outras coisas mais importantes em questão.

 

       Para que Robert possa ficar com a herança ele terá que se casar em 3 meses. A revolta foi tão grande que ele armou um plano: Se ele teria que contrair matrimonio com alguém, não seria exatamente com o tipo de mulher que agradasse seu pai.

 

 

 

Foi assim que Melinda cruzou seu caminho.

 

Ele, jovem, rico e solteiro por convicção.

Ela, pobre, ingênua e sonhadora.

 

Mundos diferentes e distantes que o destino caprichosamente ligou.

 

Ele era tudo que ela sempre quis.

Ela era o que ele precisava.

 

Ambos não tinham a mesma nota, mas se fundiriam e ficariam na mesma modulação.

 

 

 

 

Agora...

 

     

 

     Uma trama narrada em 1ª pessoa, alternando entre os protagonistas com um cenário belíssimo e detalhado no ponto certo. Personagens fortes e delicados, senti-os tão reais que tinha a certeza de conhecê-los. 

 

      Que beleza de história, essa é uma obra cativante escrita com muita elegância e muito reflexiva, que apresenta várias formas de amor com seus encontros e desencontros e pitadas de bem-me-quer e malmequer, com uma pergunta inquietante:

 

Não seria uma loucura viver esse amor?

Mas viver não é uma loucura?

 

       Obrigada, Evelyn, por essa obra tão instigante que foi capaz de me surpreender e espantar também, então posso afirmar que foi muito bem-contada!

 

Parabéns, Editora Coerência pelo excelente trabalho.

 

 

Recomendadíssimo!

 

Doce Amaro – Livro 1

Evelyn Santana

Editora Coerência

Pag.441

Ano 2016

ISBN 978-85-92572-20-4

Capa-Décio Gomes

Diagramação-Bruno Lira

Revisão-Isie Fernandes

Gênero-Literatura Nacional/Romance

Fonte-Boa com espaçamentos adequados.

Gramatura e espessura do papel- Perfeitos

 

Vamos apoiar a literatura nacional!

 

É isso, beijos e tchau!

 

 

Please reload

Posts Em Destaque

Horror na Colina de Darrington

November 5, 2019

1/10
Please reload

Posts Recentes

August 27, 2019

July 24, 2019