Dias de Chuva

March 3, 2017

Dias de Chuva

Autora: Carolina Mancini

Editora Estronho

Pag.332

Ano: 2016 – 1º edição

ISBN: 978-85-64590-94-6

Ilustração da capa e internas: Carolina Mancini

Preparação de texto e revisão: Cely Borges e Marcelo Amado

Projeto gráfico: Marcelo Amado

Gênero: Literatura Brasileira / Romance / Fantasia

Fonte: Boa, com espaçamentos adequados.

 

Olá turminha boa de leitura, essa resenha é do primeiro romance fantasia da autora Carolina Mancini que tive o prazer em conhecê-la nas minhas andanças em eventos literários.

Estar com esse livro em mãos me deixou muito feliz, pois pude fazer as primeiras impressões dessa estória. Se isso é maravilhoso?

É lógico!

 

A ilustração da capa é perfeita nos deixando curiosos para saber o conteúdo. Que arte sublime!

 

A estória a seguir é contada em primeira pessoa, é uma espécie de diário onde Júlia nossa protagonista irá nos relatar toda a sua trajetória desde os 8 anos de idade até a fase adulta. Pelo que pude perceber esse romance é na década de 90 em uma periferia da cidade de São Paulo.

 

A magia está presente em vários lugares e nos pega a cada momento. Ser envolto por seres encantados sem saber ao certo o que eles querem e por que querem, é intrigante e por vezes perturbador mostrando que a garoa seguida de chuva pode ser um bom ou mau presságio é só estreitar os olhos abrir o coração e seguir adiante, pois a luta o aguarda!

 

Julia era uma menina de apenas 8 anos, inteligente, magricela e corajosa. Ela era filha da miséria que existe pelos lados e vielas da periferia paulista. Tinha dois irmãos, Leonardo de 12 anos que tinha uma saúde comprometida, pois a asma e a pneumonia eram amigos constantes e Luana de 2 anos com um grau de desnutrição imenso. Seu pai Pedro era um alcoólatra e jogador que negligenciava a família e que não perdia a oportunidade de fechar os olhos para o que acontecia com eles e se entregava a seu melhor companheiro, a mesa de carteado, mas ao mesmo tempo tinha Rafaela uma mãe corajosa e forte que trabalhava de faxineira para suprir um pouco as necessidades do pequeno barraco em que morava, pois o que ganhava mal dava para comprar comida e por muitas vezes os filhos tinham que dormir para enganar a fome. Quem sabe assim, o sono poderia alimenta-los e trazer um pouco de calma. A vida deles era com muito sacrifício, recheada de fome, doenças e um frio cortante e constante.

 

Mas a vida de Júlia e sua família terá uma nova trajetória!

 

Em uma noite chuvosa e fria, sua mãe saiu atrás de seu pai para tentar resgatar uma jóia que ela tinha ganhado de uma das suas  patroas e que ele roubou para levar para a mesa de jogo. Júlia saiu atrás da mãe e a seguiu até aquele lugar, onde o ar pesado e impregnado de vícios e sorrisos falsos contaminava todo o local e era como se as pessoas que estivessem lá, fossem acometidas por algum torpor elas não viam nada além das mesas de jogos e todo o deleite do lugar, era como se estivem hipnotizados!

 

E essa foi a primeira vez em que Julia viu Vânia ( um estrangeiro de origem Russa), o dono do estabelecimento, um homem estranho com ar maligno, traiçoeiro e falso, mas logo mais a frente Julia viu aquele rapaz de olhos acinzentados e assustadoramente penetrante. Quando seus olhos se cruzaram, algo aconteceu, toda sua vida se descortinou para ele e ele pode ver toda a sua pequena trajetória cheia de angústias, necessidades, medos e algo mais. A partir daquela noite, Audrick, esse era seu nome, faria com que a vida de Julia e de sua família tomasse um rumo diferente e inesperado.

 

Miriam era uma mulher doce e elegante que trazia em seus olhos muita força e um mistério secular gravado e foi através dela que era diretora de uma ONG que Audrick conseguiu emprenhar naquela família, pois a ONG prestava assistência aos miseráveis da redondeza.

 

Aos poucos ele foi se aproximando da família levando alimento, remédio, roupas, companhia e incentivo. Ele conseguiu elevar o padrão de vida da família e a fase de privações e descaso acabaram. Seu pai conseguiu se afastar dos vícios e até um emprego ele conseguiu agora eles eram uma família e todos estavam embaixo das garras de Audrick, pois ele era meticuloso, astuto, frio e calculista e só esperava a hora certa para o grande xeque-mate!

 

E foi naquele dia que ele a presenteou com uma pedra lapidada que tinha forma e textura diferente, ou melhor, parecia um pequeno ovo de dragão que tinha uma temperatura quente e agradável e através desse amuleto que Julia conhecerá sua força e como a magia pode transformar os caminhos.

Mas tudo tem um preço em algum momento à bondade pode mostrar outra face. Tudo que ele fazia pela família era sempre voltado para Júlia era como se o único e real interesse fosse Julia.

 

Julia estava crescendo e com ele a confusão de sentimentos.

Às vezes ela tinha medo, gratidão, raiva e saudades...estaria Julia apaixonada pelo seu salvador?

 

O que ele viu através daquela menina que o confundiu tanto? Seria Julia dona de um dom poderoso e inigualável?

E o que Audrick ganharia com isso? Quem era ele realmente? Estaria Audrick sendo traído pelos seus sentimentos?

 

Julia será envolta em um mundo paralelo e terá de lutar para sobreviver e descobrir seu real dom. “Angaretama” será o local em que a força de Julia aflorará entre seres encantados e ela terá que tomar as atitudes que até o momento não podia tomar por ela mesma, pois as decisões de sua vida eram sempre tomadas pelos outros, então uma batalha será travada e a vitória será daquele que não desistir da luta e usar a dor como sua aliada e salvadora!

 

Não se enganem com Julia, assim que ela se descobrir ela encontrará seu norte e ao unir corpo e mente ela descobrirá...  

 

 

Prestem atenção:

Temos dois lados a seguir o mal e o  bem, basta saber qual será mais alimentado!

 

Essa foi uma leitura que me deu imenso prazer em fazê-la, pois ela é de fácil entendimento bem contado, ricamente elaborada e irresistivelmente apaixonante. Carolina você fez uma ótima pesquisa e enalteceu o nosso folclore. Você soube descrever perfeitamente todo o cenário escuro, úmido, tenso e melancólico com doses fortes de tristezas, descaso e desamparo. O cenário de "Angaratema" é sensacional consegui me sentir no local e me contaminar com toda a magia. Os personagens são bem construídos, tanto os principais como os secundários. Sempre temos um personagem queridinho e a minha é Miriam, com seu lado protetor e maternal ela tenta mandar recados sempre pelas entrelinhas alertando o que está por vir. Esse enredo nos apresenta uma protagonista bem real com dúvidas, anseios, decepções, atitudes erradas e acertadas, muito instável e também bipolar, tendo mudanças de humor a todo instante. Muito real!

 

Esse enredo é povoado de chamadas para a nossa realidade, apresentando a falta de planejamento, o descaso, a vida precária e miserável de muitas famílias que esperam ser apadrinhadas por almas que se dizem caridosas, mas que podem cobram um preço alto demais.

Qual o preço para a felicidade? Será que existe uma felicidade desmedida e contínua?

Para viver o amor pode-se pagar qualquer preço?

 

Cuidado com a vaidade ela pode se instalar e cegar aos acontecimentos a sua volta e que quando esquecemos o nosso passado deixando as misérias e suas angustias nós nos esquecemos do que passamos e isso é demais perigoso, porque nesse momento esquecemos quem somos de verdade e com ela a nossa essência se vê enterrada.

Temos que prestar atenção, pois o mal é ardiloso, nos engana e nos mostra um caminho que pode parecer seguro e sereno e de-repente o chão se abre a nossa frente, e então, vem a pergunta: volto ou pulo? E é nesse momento que a decisão é apenas sua e demais ninguém!

 

Caros leitores ao terminar a estória voltem na página 11 ela se tornará mais esclarecedora.

 

Obrigada Carolina pelo capricho com a estória e pela Editora Estronho pelo incentivo e acreditar no sucesso desse enredo. Não posso deixar de falar sobre a bela capa que traduz muito bem a estória, uma ótima diagramação e ilustrações belíssimas. A muito tempo não leio uma estória como essa cheia de sensações que me deixava sem folego a cada pagina e com um final digno e corajoso, pois colocou o ponto final no lugar certinho sem se preocupar com opiniões que viriam...fiquei surpresa, chocada e maravilhada. Sou sua fã!

 

Perguntinha: Teremos o 2º livro?

 

Super-recomendo.

 

Vamos apoiar a literatura nacional!

 

É isso, beijos e tchau!

 

 

 

 

Please reload

Posts Em Destaque

Horror na Colina de Darrington

November 5, 2019

1/10
Please reload

Posts Recentes

August 27, 2019

July 24, 2019